quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

Radares para reduzir sinistralidade ou o défice???

Porque que a Câmara do Porto não revela a estatistica dos acidentes graves ou com vitimas mortais dos últimos anos?
O valor das multas cobradas é aplicado em que?
Quais são os seus destinatarios?
É assim tão importante para a Câmara do Porto e para a DGV em que nos 100 metros em que estão instalados os radares os automobilista circulem a menos de 90 km/h e após passarem o respectivo radar passem para velocidades superiores as controladas.
Como podem afirmar:
36 aceleras na VCI a cada hora Radares do Porto apanharam quase 313 mil condutores em excesso de velocidade em 2006. 92,5% circulavam entre 91 km/h e 110 km/hora
E depois dizem que 30% do valor cobrado é para as autarquias, valor esse que nem sequer chega para pagar o custo do sistema. Será mesmo assim ??? Se foram 313.000 condutores em excesso de velocidade e a cada um terá sido cobrado 10€ (exemplo de uma taxa de 30%) efectuaram um proveito de 3.130.000€ só no ano de 2006, fora os anos de 2002 a 2005.
Realmente o sistema de radares é muito caro deve custar mais de 12.520.000€ (3.130.000€ x 4 anos fora os restantes 70%)
Como o nosso país anda, é muito feio mentir!!!

Sem comentários: